• Alessando Pacco - Engenheiro de Vendas

O que é Aço Inoxidável - Parte 02

Na última postagem falamos sobre o que é o Aço Inoxidável e suas principais ligas (304/304L e 316/316L) que estão na classe dos Austeníticos.

Mas o que é isso?

Podemos classificar o Aço Inoxidável de acordo com suas microestruturas em 03 principais classes ou grupos: Austeníticos, Ferríticos, Martensíticos.


As diversas microestruturas dos aços são função da quantidade dos elementos de liga presentes. Existem basicamente dois grupos de elementos de liga: os que estabilizam a austenita (Ni, C, N e Mn) e os que estabilizam a ferrita (Cr, Si, Mo, Ti e Nb).

A composição química junto com o processamento termo-mecânico, confere ao aço inoxidável propriedades diferentes. Assim, cada grupo de aço inox tem uma aplicação.



1 - Austeníticos (Tp 304, 304L, 316, 316L)

Resistente à corrosão

Os Austeníticos possuem de 17% a 25% de Cromo e de 7% a 20% de Níquel. Apresentam alta ductilidade, ou seja, facilidade de trabalhar com o material, bom desempenho em soldagem e são o tipo de aço inox mais utilizado por apresentar excelente resistência à corrosão.

Os aços inoxidáveis desta classe não são magnéticos, ou seja, não são atraídos por ímãs.

São formados principalmente de ligas de Ferro + Cromo + Níquel.


Características

  • Alta resistência à corrosão;

  • Não endurecíveis por esfriamento rápido de alta temperatura, todavia endurecível por trabalho a frio;

  • Alta durabilidade;

  • Não magnéticos (após conformações podem apresentar leve sensibilidade magnética);

  • Utilizados para aplicações criogênicas (trabalhos à altas e baixas temperaturas), devido à boa resistência à oxidação e amolecimento em altas temperaturas;

  • No aquecimento acima de 600ºC do material AISI 304 é indicado os aços com baixos teores de Carbono (304L e 316L) devido a sua tendência a corrosão no contorno de grão;

  • São soldáveis por diversos processos.

Utilização

  • Equipamentos e tubulações para indústria alimentícia, farmacêutica, química e petroquímica;

  • Construção civil;

  • Dispositivos médico-hospitalares e utensílios domésticos.


2 - Ferríticos (Tp 409, 410S, 430, 439, 441)

Resistente à corrosão, mais barato por não conter Níquel

Os Ferríticos têm de 11% a 20% de Cromo e menos de 0,08% de Carbono. Apresentam fácil conformação, boa soldabilidade e boa resistência à fadiga térmica, o que significa um bom desempenho em aplicações que sofrem ciclos de variações de temperatura, como componentes do sistema de exaustão de veículos, por exemplo. Os aços desta classe são magnéticos.

São formados principalmente de ligas Ferro + Cromo.



Características

  • Magnéticos;

  • Não são endurecíveis por têmpera (transformações martensíticas);

  • Podem ser furados, cortados, dobrados, etc;

  • Elevada resistência a corrosão (principalmente sob tensão);

  • Soldáveis (requer cuidados especiais);

  • Deve-se ter cuidado no reaquecimento a outras temperaturas, pois não ocorre refinamento de grão mediante tratamento térmico.

Utilização

  • Eletrodomésticos (fogões, geladeiras, etc);

  • Frigoríficos;

  • Moedas;

  • Indústria automobilística;

  • Talheres;

  • Sinalização visual - Placas de sinalização e fachadas.


3 - Martensíticos (Tp 410, 420, 498)

Dureza elevada, menor resistência corrosão

Os Martensíticos, que contam com 12% a 18% de Cromo e de 1% a 1,5% de Carbono. São magnéticos, pouco soldáveis e apresentam alta dureza e resistência ao desgaste, o que faz com que estes materiais sejam muito utilizados na fabricação de facas.

São formados principalmente de ligas de Ferro + Cromo, e com teores de Carbono mais altos do que os ferríticos.



Características

  • Magnéticos;

  • Quando já tratados termicamente possuem moderada resistência à corrosão;

  • Endurecíveis por tratamento térmico, alcançado níveis de resistência mecânica e dureza;

  • Complicações no processo de soldagem;

  • Boa resistência a soluções, como ácido nítrico em temperatura ambiente, porém corrosivo em soluções redutoras com ácido sulfúrico e clorídrico;

  • A resistência diminui com o aumento de quantidade e elementos como Carbono, Enxofre e Fósforo.

Utilização

  • Instrumentos cirúrgicos como bisturi e pinças;

  • Facas de corte;

  • Discos de freio especiais.


Correta Especificação

A especificação do aço inox, deve ser feita com base em diversos tópicos, para orientar seguem algumas abaixo:

  • O conhecimento dos motivos da resistência do aço inox a corrosão, quais os tipos e as suas características;

  • Os aspectos de segurança no trabalho, impacto ecológico, legislação vigente;

  • Conhecer a aplicação do material, onde será usado? Quais os ambientes que ele irá atuar? Quais as concentrações? Quais as Temperaturas? É um processo dinâmico ou estável? Quais os níveis de contaminantes? etc;

  • Quais os acabamentos disponíveis mais adequados para determinada aplicação?

  • Quais os processos mais adequados para soldagem, conformação, estampagem?

  • Adotar corretas sistemáticas de armazenagem, limpeza e manutenção do aço inox durante todo o processo;

  • Adotar formas de identificação, para evitar a troca de ligas, manter uma rastreabilidade no material;

  • Quando aplicável, especificar a necessidade de se utilizar película de polietileno, e quando existir, determinar se será utilizada em ambientes com exposição à luz solar, pois existem as mais adequadas para esta aplicação.

  • Adotar formas de identificação, para evitar a troca de ligas, manter uma rastreabilidade no material. Na Imediato, 100% dos nossos produtos são gravados e rastreados, e acompanham os Certificados de Qualidade da matéria prima.



Vantagens na Utilização do Aço Inoxidável

  • Alta resistência à corrosão;

  • Resistência mecânica adequada;

  • Facilidade de limpeza/Baixa rugosidade superficial;

  • Aparência higiénica;

  • Material inerte;

  • Facilidade de conformação;

  • Facilidade de união;

  • Resistência a altas temperaturas;

  • Resistência a temperaturas criogénicas (abaixo de 0 °C);

  • Resistência às variações bruscas de temperatura;

  • Acabamentos superficiais e formas variadas;

  • Forte apelo visual (modernidade, leveza e prestígio);

  • Relação custo/benefício favorável;

  • Baixo custo de manutenção;

  • Material reciclável;

  • De boa fabricação;

  • Densidade média = 8 000 kg/m³.


Espero que tenham gostado dessa explicação.

Ficou grande, eu sei, mas resumir esse assunto não é bom, quanto mais informação, melhor.

Trarei muito mais informações sobre esse mundo do Inox aqui no blog, não percam!!